terça-feira, 3 de outubro de 2006

Que decepção, bonitão...Capítulo final

Percebi que o clipezinho romântico que eu idealizara viraria filme de terror tão logo o bonitão chegou. Éramos quatro na mesa do bar. Eu, minha amiga e o namorado e mais um carinha, de quem não me lembro bem. Depois de falar com todos, calorosamente, passou por mim como se não me conhecesse e foi pegar uma bebida. Ao voltar, se limitou a me olhar e dar uma sorrisinho amarelo, daqueles que não deixam aparecer os dentes à mostra. Não sabia se sentia raiva ou vergonha. Todos na mesa me olhavam como se dissessem: se fudeu! Não sabia onde enfiar a cara.

E assim se passaram horas...ele falava com todo mundo e mal olhava pra minha cara. "Deve ter percebido que não sou lá essas coisas", pensava. "Vai ver que minha amiga mentiu, ele não mandou recado nenhum! Quis me sacanear, a filha da puta"...

Bem, o fato é que, apesar de todos os prognósticos me desfavorecerem, a coisa acabou mudando de figura...

O meu casal de amigos foi embora e, desiludida, decidi ir com eles. No meio do caminho, supresa!! O bonitão parou o seu carrão ao lado no nosso e me chamou pra dar uma volta com ele. Até pensei em recusar, fazer um cu doce...ah! Que orgulho o que! Vou lá!

Saí toda saltitante e entrei no carro dele. Não vou descrever aqui como se sentia no momento pra evitar clichês ridículos como "minha pernas tremiam", ou "meu coração ficou acelerado". Além de tudo, vocês devem imaginar como se sente uma adolescente de 16 anos ao ser convidada para "dar uma volta" por um carinha bonito, rico, popular e cobiçado por todas as suas amigas...

Porém, como disse no começo da história, o clipezinho romântico virou filme trash. A começar pelo local escolhido pelo bonitão para a nossa noite romântica. Estávamos pertinho da praia, com o reflexo da lua cheia...mas o cidadão, sabe-se lá porque, parou o carro numa mísera ruazinha inexpressiva. Pros que pensam que ele queria ficar num lugar deserto para aproveitar-se sexualmente de mim, esqueçam. A rua era sem graça, mas não necessariamente deserta. Um grito, e apareceria alguém pra me salvar do tarado.

Mas definitivamente, não era o caso dele...Aliás, muito pelo contrário. A única tara que o bonitão tinha era por ele mesmo e por brinquedinhos de menino rico. "Tá vendo esse som do carro? Custou $$$! Meu pai trouxe dos EUA", propagandeou ao colocar a música.

Depois alguns minutos falando do som (e sem me dar um beijinho sequer) ele resolveu mudar de assunto. O tema agora era o cachorro, "de raça raríssima, com criadores só em São Paulo, poucos canis no Brasil". AAAAAAAA

Depois do cachorro, foi o jet ski. E a calça importada que havia comprado mas nunca usara, a reforma da casa que custara "uma fortuna"...

E assim foi alternado a conversa (que tava mais pra monólogo, já que eu não tinha estômago pra dialogar com aquele babaca esnobe). Percebendo minha indiferença, o mauricinho resolveu mudar a estratégia. E o que poderia ser mais atraente que seu valioso patrimônio? Ele mesmo, claro! E começou a me perguntar o que eu achava dele, a quanto tempo eu pensava em ficar com ele, se eu achava o cabelo dele bonito...puta que pariu!!

Já estava pensando em simular um mal súbito e ir embora quando ele decidiu fazer o que eu esperara desde que recebi o bendito recadinho da minha amiga: me beijar. E foi aí que toda a decepção que eu tivera até aquele momento...se transformou em um decepção maior ainda!!!

Caraio...o cara beijava muito mal. Nunca vi daquilo. Naquela época, meu currículo no quesito ainda era um tanto modesto, mas eu já tinha parâmetros pra saber: era um beijo horroroso! Desnecessário dizer que fui embora mais que desiludida...na verdade, fiquei até meio indignada. Mas tudo bem, ainda restaria como consolo o triunfo sobre as invejosas da cidade. hehehe

Mas nem esse gostinho o filho de uma égua deixou pra mim. Começava a contar a história pra mulherada na escola na segunda-feira seguinte quando ele chegou. E sabem o que fez? Me ignorou solenemente. Nem o sorrisinho amarelo rolou, nem um oi, nada! Que ódio!

Além de beijar mal, ser arrogante, narcisista e ostentador, ainda tirava aquela onda? Mas o pior foi o que a explicação que, segundo a minha amiga, ele deu pro fato de ter me tratado feito um poste. "Ela ficou muito apaixonada por mim. Perdeu a graça."

E essa é só a primeira história...

3 comentários:

Tio Xavier disse...

É Tatinha... fazer o quê né? O cara deve se achar tão gostoso que come a si próprio todas as noites, rs... Azar. A fila anda.

Dani disse...

EU TB ACHO QUE ELA NÃO É TÃO AZARADA É MTO EXAGERADA...ISSO FOI NORMAL...PIOR QUE O TAL CONTINUA O MESMO HAHAHAH...PELO MENOS VC PODE TIRAR ONDA E DIZER QUE JA FICOU COM O EX DA ... HAHAH...E MAIS,PELO O QUE EU ME LEMBRE ELE QUIS FICAR NOVAMENTE COM VC,NÃO FOI???HAHAHAH...NEM SABIA QUE ELE TINHA FALADO ISSO DE VC...PQP HAHAH...

Ostiano disse...

Huummm Tati, não foi tão ruim assim. Estes micos de adolescente são normais. Vou esperar o próximo causo pra saber se você é tão azarada assim.