quinta-feira, 24 de maio de 2007

Mais uma de mamy

Antes que acabe o mês das mães, vou relembrar aqui no Musa mais uma das fantásticas intervenções de sua principal personagem: mamy. Essa é antiga e tem como testemunha minha querida amiga Andréa Machado (que aliás, é testemunha de um sem número de patacoadas de mamy).

Era meu aniversário e decidi receber meia dúzia de amigos mais chegados em casa para comemorar. Um pequeno embróglio, porém, quase fez descer ladeira abaixo o evento. Uma amiga que terminara com o namorado (também amigo) poucos dias antes da festa decidiu aparecer com o novo digníssimo a tiracolo, deixando o preterido ex com aquele famoso semblante de constragimento, popularmente chamado de "cara de cu".

Extremamente constrangedora, mas inegavelmente engraçada, a situação foi um prato cheio para o meu então digníssimo- uma das pessoas mais sacanas que tive o privilégio de conhecer- destilar todo o seu veneno para sacanear o trio: a minha amiga, o atual e o ex. O que não imaginávamos, porém, é que o preterido não tinha, digamos, o mesmo senso de humor do meu ex-digníssimo. E ficou muito, mas muito puto mesmo. Muito diplomático, ele até tentou disfarçar, mas a minha amiga, coitada, percebeu a situação e, dividida, acabou caindo no choro.

Eis que mamy, cheia de disposição para encarnar o papel de conciliadora, resolve sentar-se ao lado da menina para dar uns conselhos. Medo, muito medo! Conhecendo o retrospecto da minha progenitora, fiquei por perto para tentar evitar uma tragédia de maiores proporções. Não adiantou...

Quem conhece a minha mãe, sabe. Os critérios usados por ela para avaliar as pessoas não seguem assim...uma lógica. É comum ouví-la refererir-se aos seus desafetos (ou não) como "aquela gorda", "aquele sem pescoço", "aquele feio", "aquela de cabelo ruim" e expressões pejorativas similares. Concluindo: mamy repara mais nas características físicas do que morais dos indivíduos. E, como aos olhos dela os dois rapazes envolvidos no triângulo amoroso não eram exatamente belos, decidiu dar fim à polêmica e ao dilema da menina (a qual nunca vira antes daquela festa) com o seguinte consolo:

"-Você é uma menina tão bonita, né? Mas já reparei que gosta de rapazes (pausa) não tão bonitos!"

Ai, Mamy...tão agradável, tão discreta...
Felizmente, a moça era quase uma desconhecida. Caso contrário, ela certamente não teria sido tão...discreta!

4 comentários:

Juliana disse...

Thati, sua mãe é uma incompreendida.
Ao contrário do que vc pensou, ela não sentou lá pra conciliar, mas pra dar a opinião dela mesmo! hahahaha
Bjsss

Naila disse...

Hahahahahahahah.
Eu amo o musa e a mammy.
;-)
Bjs

andrea.fm disse...

Os rapazes em questão eram não tão bonitos e sua mãe, não tão singela. :-)

eduardo farias disse...

Sua mãe tinha que ter um blog próprio!!! haauaahuauha muito bom!!