sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Puta mundo injusto, meu!

De plantão num pré-reveillon pós-noite de insônia e praticamente babando no teclado. Ruim, né? Mas como diz aquela lei de Murphy: sempre pode piorar.

Eis que num intervalo da labuta, leio na edificante Revista Quem que tal de Fiorella Mattheis está em FERNANDO DE NORONHA pegando o gostoso do FLAVIO CANTO. É numa hora dessas que eu pergunto: Caro Deus: por que umas têm tanto e outras tão pouco?

Enquanto a loira, rica e MAGRA Fiorela tá lá naquele paraíso se refestelando com um dos melhores exemplares da raça masculina do Rio de Janeiro, tô eu aqui na Barra da Tijuca, trabalhando, duranga, acima do peso e sem perspectiva de romances a curto prazo.

Onde está a igualdade de direitos? A distribuição de renda? A democracia? Noronha e Flávio Canto? Com um homem desse, Senhor, ela podia estar até em Muriqui!

3 comentários:

Juliana disse...

Apoiadíssima!

Fórmula Zuuum disse...

Sinceramente, musa, prefiro trabalhar horas a fio num reveillon e deixar o Flávio no canto (que trocadilho podre...). Bjs

Juliana disse...

Ela já tem DEMAIS.Loura,linda,rica...Arruma outro.Mas dá esse pra mim oks sapokdaspoda