segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

A saga da garrafinha perdida


Noite alegre, amigos decidem ir ao estabelecimento noturno de nome Casa da Matriz, no bairro carioca de Botafogo, para celebrar a folga natalina e a visita de um estimado camarada fluminense radicado em Belém -onde é bonito e rico, segundo argumento usado pelo próprio quando se estabeleceu por lá. Um dos mancebos do grupo, num gesto de sagacidade, leva de casa uma garrafinha phyna, tipo cantil, preenchida com vodka da marca Absolut e manda você acomodar a mesma em sua sutil bolsinha carteira.

Já ao alvorecer, depois de consumir a quase totalidade do conteúdo da citada garrafa, chegas em casa, na bucólica Niterói, sem a mesma. Conclui que a deixou em algum balcão do estabelecimento (embora não haja registro do esquecimento em sua memória), quando recebe uma mensagem do amigo pedindo a devolução do utilíssimo objeto.

Envergonhada, se compromete consigo mesma a devolver o souvenir, afinal, seu pai (que Deus o tenha) não a criara para deixar os colega no prejuízo por causa de um ato de irresponsabilidade alcoólica.

Mesmo com restrições orçamentárias, passa numa lojinha e desenbolsa uma pequena fortuna por uma nova garrafa / cantil alcoólico para se redimir com o amigo. A ideia é nem falar com o mancebo sobre a perda. No próximo encontro, você entrega a garrafinha nova acomodada em uma bela caixinha de presente seguida de um singelo abraço e de um pedido de desculpa.

Mais pobre, porém tranquila com a consciência e orgulhosa de si por tamanha sagacidade, você acessa a rede social Facebook e se depara com a seguinte mensagem do amigo em questão:

Tô viajando! a garrafinha tá aqui em casa...


5 comentários:

Tio Xavier™ 4.4 EconoFlex disse...

O código penal precisa ser revisto. Homicídios são justificáveis em alguns casos.

Roberta disse...

Agora vc tem a sua própria garrafinha, oras!

Musa de Caminhoneiro disse...

Pois é, Roberta... estou vendo a coisa por esse prisma.

Gerson disse...

A garrafinha é quadrada? Porque de ela for cilíndrica teoricamente doerá menos a hora que você enfiar ela no Absolut dele.

Juliana disse...

Vida de merda, heim!? hahahaha