domingo, 18 de março de 2007

Minha mãe quer que eu case

Parece nome de comédia romântica, né? Mas infelizmente, trata-se apenas da nova missão de mamy. Ela quer, desesperadamente, me arranjar um marido. Não importa que eu diga todos os dias, incessantemente, que descolar um cônjuge não é objetivo prioritário na minha vida nesse momento. Nem que muitas das minhas amigas casadas são entediadas e loucas para viverem aventuras de solteira. Nenhum argumento tira da cabeça deturpada de mamy a seguinte teoria: assim como Jesus, só um marido salva.

Acompanhem só o meu drama...
Dia desses, fui acordada de forma nada delicada por mamy, com uma pilha de correspondências nas mãos.

-Olha isso! Tudo conta! Tudo no seu nome! Você não pára de gastar!! Vai ficar no fundo do poço!!, berrava ela nos meus pobres ouvidos.

E a ladainha sobre meu descontrole orçamentário continuou, até eu expulsá-la do quarto, também de maneira nada delicada. Quando finalmente acordo (por conta própria), encontro mamy sentada no sofá. Com cara de muito tensa, fumando um cigarro, ela começa mais uma das sua divagações trágicas sobre o futuro:

-Eu não vou durar muito. Só fico pensando o que vai ser de você com uma criança, sozinha na vida. Você não sabe administrar sua vida, é lerda!

Não bastassem o elogios lisongeiros, ela ainda me vem com (o que acredita ser) a solução para os meus problemas:

-Precisa encontrar um marido! Um homem pra cuidar de você. E não venha com esse papo de mulher moderna, que não precisa de homem. Não precisa é o cacete! Isso é discurso das suas amigas solteironas mal-amadas!

E completou o raciocínio medieval:

-E não me venha com essa que não gosta de ninguém pra casar. Não precisa gostar, é só casar que acostuma. E aproveita enquanto você ainda não fez 30. Daqui a dois anos, já vai estar passada pra arrumar um bom marido. Aí, vai ter que pegar o que aparecer se não quiser morrer solteirona! Será que eu vou morrer sem ter casado minha única filha??

Pelamordedeus. Mamy foi hippie. Fumava quilos de maconha. Fugia de casa para acampar em Cabo Frio. Não casou com meu pai na igreja porque achava careta. Tem duas tatuagens! Mas ainda acha que mulher que a melhor profissão do mundo para uma mulher é ser esposa! Ô, pessoa contraditória...

6 comentários:

Juliana disse...

Liga não, Thati! Minha mãe não é nada contraditória mais está a cada dia mais desesperada com o fato de eu não ter nem pretendente e de não estar preocupada com isso! hahaha

Marcelo disse...

Po, fala com sua mae que eu me candidato! Um beijao!

ederson disse...

Olá! descobri teu blog numa comunidade do Orkut. Gostei bastante dos teus textos e do teu jeito de escrever. Vou visitar outras vezes.

Agora, acho que no teu texto do dia 10 não ficou legal iniciar com "juro que não tenho preconceito contra gays", porque, como já escreveu o Luiz Fernando Veríssimo, geralmente quem fala isso é porque tem. Pelo que percebi, não é mesmo o teu caso, mas não ficou legal escrever isso. Se fosse um casal hetero tu não ia começar o texto dizendo "juro que não tenho nada contra heterossexuais"...

Abraço, até outra hora

Leo Bueno disse...

Cante pra ela aquela música da Elis, que dizia que nós "vivemos como nossos pais", saca?

Beijo!

Tio Xavier™ disse...

Putz... sua mamy´s precisa de uma noitada no Clube das Mulheres ou algo parecido. Pobre Tathy.

Claudia disse...

S-E-N-S-A-C-I-O-N-A-L! rs
Bjks,
Cláudia